Site de notícias vinculado ao Sindicato Rural de Guarapuava

Biotrigo

Sexta-feira, 11 de setembro de 2020

Guarapuava terá duas turmas do curso Inspetor MIP-Soja

Guarapuava terá duas turmas do curso “Inspetor em Manejo Integrado de Pragas (MIP-Soja)” na safra 2020/21. Apesar dos cursos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) ainda estarem suspensos, a decisão de manter este curso no Paraná se deu devido a não ter possibilidade de adiar o monitoramento prático nas lavouras de soja.

Para que o curso aconteça em segurança, devido à pandemia do Covid-19, houve algumas adaptações. A primeira fase da formação com 16 horas que era feita de forma presencial, acontecerá de forma remota. E nos monitoramentos práticos, o número máximo de participantes será de quatro pessoas por propriedade, respeitando todos os cuidados de prevenção.

A sensibilização para a capacitação em Guarapuava foi realizada nesta semana de forma remota. Devido a grande procura houve a formação de duas turmas, coordenadas pelos instrutores do Senar, João Ronaldo Freiras de Oliveira e Pedro Luiz de Araújo e Campos.

Quinta edição do curso

O curso de MIP-Soja do SENAR-PR vai para a quinta edição na safra 2020/21. A primeira, ocorreu em 2016/17, quando fechou 18 turmas. No ciclo 2019/20, foram 56. Desde o início, a formação vem promovendo uma mudança significativa na maneira como os produtores fazem o uso de inseticidas. Com o monitoramento constante das lavouras, é possível perceber se realmente há necessidade de fazer o controle químico e usar esse recurso de forma racional. Há casos de plantações que passam o ciclo todo de desenvolvimento sem nenhuma aplicação de inseticidas ao longo do ciclo, refletindo em economia direta no custo de produção.

Aplicativo

Outra novidade a partir deste ano é que os instrutores de MIP-Soja contarão com um aplicativo para ajudar no gerenciamento das informações geradas em campo. A ferramenta foi desenvolvida pelo professor Gabriel Costa Silva, do campus de Cornélio Procópio da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e nove alunos da instituição. O software, que vai ter capacidade de organizar e gerar informações em tempo real do monitoramento de pragas, teve seu desenvolvimento apoiado pelo Sistema FAEP/SENAR-PR, Instituto de Desenvolvimento Rural – Iapar – Emater (IDR-PR) e a Embrapa Soja.

 

Com informações do Sistema Faep/Senar

 

Comentários

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Você pode denunciar algo que viole os termos de uso.


Biotrigo